Tuesday, February 26, 2008

A verdadeira essência de Plínio Marcos

No atual contexto impera a mediocridade, banalização, oportunismo, charlatanismo e principalmente a hipocrisia naquilo que se refere aos meios de comunicação como difusor de idéias e opiniões destinadas ao povo. Além de exemplos explícitos como a televisão, tablóides etc, este vírus contamina também a cultura alternativa, que existe justamente para se contrapor a estas formas de poderio vigente. E o nosso ato cultural de oposição se dá justamente aí, contra pessoas ou entidades que se escondem atrás de uma verdade inventada somente para atender aos próprios interesses, muitas vezes utilizando até nomenclaturas ou posições ideológicas de artistas que representaram uma luta contra esta corrente demasiada patife. Portanto, nós como artistas conscientes de nossa cidadania e luta pela sobrevivência nas ruas da cidade, tendo de interferir no cotidiano das pessoas tentando convencê-las a aceitar outras formas de apego à cultura (diferente da novela e afins), vimos expôr nossa re-volta aos oportunistas que se dizem defensores da cultura marginal, enquanto impedem poetas de veicular seus trabalhos em espaço público, alegando que é necessário o repasse de porcentagem dos lucros (baixos) à preservação da memória de quem noutrora enfrentou ditadura militar, classe média e quem mais quis reprimir a ousadia e coragem de levar temas da bruta realidade em que vivemos no principal espaço de fluxo que temos para dialogar: A rua.

Portanto repetimos, Plínio Marcos não pode ou deve ser usado em hipótese alguma como nome de iniciativas picaretas, estelionatárias, que impedem a divulgação de jovens poetas se não houver colaboração financeira; também não devem ter seus nomes veiculados a eventos em que são investidos montantes altos de dinheiro e o cachê de alguns palestrantes (falando de suas experiências pessoais) sendo desviados para o bolso da organização de maneira vil e oportunista. Isto se estende também às ações neo-nazistas do prefeito da cidade, mas esta luta, a priori, começa dentro de uma classe que deveria estar unida, inclusive para bater de frente com expropriações e rasteiras constantes no povo, inerentes aos governantes, mas infelizmente prevalece a individualidade, egoísmo e ambição para além das camadas terrenas, impedindo uma dança nobre entre os artistas que acreditam que nomes como Oswald de Andrade, Pagú, Cazuza, Chico Sciense, Sabotage e, especialmente neste caso, Plínio Marcos, que está tendo seu nome usado de forma indevida para a promoção de interesses pessoais na mão de quem faz mal uso de tal oportunidade e consegue ser tão corrupto a ponto de manter o respaldo pra continuar dando golpes em quem eles pensam estar a minoria; mas se enganam pois nós, artistas independentes estamos mais fortes do que nunca e mais do que derramar sangue, derrubaremos as máscaras e ao invés de derrubar o patrimônio público, destruiremos a cara-de-pau desses safados que pensam que poderão ficar impunes com suas vidinhas de classe média, que nada fazem em prol do povão, que se utilizam de jornalecos periódicos (produzidos por editores frustrados) camuflados de publicações culturais onde o que prevalece é a propaganda, publicidade, assédio moral ou sexual a quem interesse participar.

Além de utilizar o nome daqueles que formaram linha de frente na luta contra a podridão e o desequilíbrio social brasileiro.


Contra o estelionato cultural, Plínio Marcos vive e as máscaras caem.


*Nosso ato cultural de protesto à esta patifaria ocorrerá sábado as 16 h na Pça Benedito Calixto, em Pinheiros, dentro da feira de artes e antiguidades. É tudo pacífico, poesia e som!

4 comments:

BêbÉT/Ocica's said...

caralho!
maluco!
ohhh... mano, eu até publiquei algumas coisas do sabotage em meu blog, fiz uma poesia para o chico science, e me senti quase...
mas sei que não estou usando argumentos argutos, e quero parabenizar essa paulada!

e vou fazer um corre pra ver essa porra! levarei meu texto tambem, não me negarei...

"pois nos artistas independentes estamos mais fortes."

isso dá força pra quem vive no independente, respira, e tem que suar mesmo para honrar não a camisa, mas a pele.

"o anonimato não me restringe... a prosperidade dos argumentos assegura-me em repressão ao estado... o anonimato, é o paraiso ofegante de meus sonhos."

tamu junto!
precisa de CPF, RG?

bebeto.

Lays said...

Uuuufaaaaaaaa}

Anonymous said...

não entendi. a associação dos amigos dá praça está impedindo o trabalho dos poetas? me recuso a acreditar que a organização da praça faz isso. sou frequentador da benedito e sei que os expositores tem que pagar para estar ali. o que houve afinal? a associação nao deixa voces terem uma barraca na feira?

abraços

MaicknucleaR said...

Esse jabalismo retrogrado-segregativo deve cair por terra, hermanos! Se todos criadores de arte (seja lá qual seja) fossem dotados dessa "consciência do pé-arraigado-no-chão", talvez esses atos de, digamos, retrocesso, contra a arte, aliás, nem retrocesso, mas um Estacionismo, que faz com que a arte não se propague nem ganhe novas formas (nem adeptos, criadores, etc), devido a panela monetária da's artElite.
Acredito que a melhor forma de ir contra essa remela desgastada é com poesia mesmo!, com som, com essa puta idéia que li aqui, enfim, é mostrar a "eles" o que eles sempre quiseram ser, nunca serão, mas podem comprar quem lhes diga que "são"!
...depois de uma idéia dessas, meus caros, conte conosco!