Sunday, June 17, 2007

Poema de Marcelo Montenegro

Este é um poema do compañero Marcelo a ser publicado na revista "Não Funciona", No.10 (edição especial), com lançamento no OFF-FLIP em Julho próximo. É denso, nem precisa dizer mais nada, confiram!!!




Poema Estatístico


Tem uma esquina prenha de um latido.
Trechos de pássaros que permanecem
nos muros que ficam. E vice-versa.
Um e-mail anotado às pressas no canhoto do tintureiro.
A cirrose portátil. A síndrome do pânico.
O enroladinho de presunto e queijo.

Tem a Mulher mais Linda da Cidade.
Groupies de cabelo rosa. Poodles
da solidariedade. Alguém chorando lágrimas
de tubaína. Penélopes Charmosas.
Dick Vigaristas. Um cara que já sai desviando
do cinema del arte, evitando ser atingido
por alguma conversa perdida.

Tem a mulher da vídeo-locadora
que não conhece o filme que estou procurando.
Um amigo que diz que escreve só para colocar epígrafes.
Taxistas infláveis. Manicures em chamas.
Um casal que desce a rua na banguela
prolongando a gasolina daquilo tudo
que um dia fora. Eu ando apaixonado
pela mulher da vídeo-locadora.
Lendo revistas na sala de espera
do consultório dentário. Tem uma
que venta. E um que desiste.
De arranhar os vidros do aquário.


Marcelo Montenegro
(de Orfanato Portátil, 2003, Atrito Art Editorial)

3 comments:

Anonymous said...

eu amei isso!

Juninho said...

devo admitir que é bom pra carai!..

Madalena Barranco said...

Parabéns ao Marcelo! Adorei ler sua poesia, que está mais para o estilo "prosa poética", no ponto natural do Contemporâneo. A imagem que me veio foi a de um filme romântico sobre a cidade. Abraços.